SEGUIDORES

POVO OMISSO




Meu sonho se realizando? (em parte)
Duas recentes medidas governamentais, atingiram diretamente empresas (empresários) e o contribuinte (pessoa física).
Uma é o SIMPLES DOMÉSTICO e a outra EMPRESA FÁCIL (abertura e alterações de contrato social).
Sonhei um dia trazer empresários para vivenciarem o dia a dia dos serviços de contabilidade. (MEU GRANDE SONHO).
Hoje, com o tal do SIMPLES DOMÉSTICO, está sendo demonstrado o que o profissional da área contábil passa TODOS OS DIAS (é só ver na mídia sobre o assunto).
Já debati muito sobre este tema, que medidas governamentais, empurram suas obrigações para os empresários (ENTENDA-SE, CONTADORES, são eles que vão operacionalizar), sem terem (órgão do governo) estrutura na área de TI (TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO) para atender a demanda.
Assim foi com o SIMPLES, instituído em 1996 e alterado para o SIMPLES NACIONAL em julho/2007. Pois é, desde o início (1996), AINDA ESTÁ SENDO AJUSTADO. Quer dizer, de SIMPLES NÃO TEM NADA. Com o SIMPLES NACIONAL, uma das alterações foi na tabela/anexos de enquadramento que passou a ser de cinco anexos com vinte tabelas cada (cem tabelas), BEM SIMPLES, NÃO É?.
É apenas um exemplo dos tantos que os profissionais da área contábil passam, é penalizado e DESVALORIZADO. Por desconhecimento, empresários acham que o contador não faz nada, não tem responsabilidade e nunca pagam o que deveria ser JUSTO. É uma CHIADEIRA, quando se fala em honorários, principalmente quando nos confrontamos com o mau profissional que avilta honorários. Aqui eu culpo, sem medo de sofrer penalidades, nossa classe representativa (CONSELHO DE CONTABILIDADE – Federal e Regional – SINDICATOS – FEDERAÇÕES – DELEGADOS, etc.). Obviamente o maior culpado É O PROFISSIONAL DA CONTABILIDADE que se omite em cobrar as classes de representação.
Assim funciona com qualquer atividade. O povo “brasileiro”, de forma geral, é omisso e COVARDE, Incluindo aqui até empresários de qualquer atividade.
Destaco, em minha trajetória de vida (quem trabalhou comigo sabe), que divido A MAIORIA DOS BRASILEIROS em quatro “espécimes”):   MEDROSO, CÔMODO, CONIVENTE E MAU CARÁTER. (este último, é aquele que tem o RABO PRESO e não pode cutucar a onça com a vara curta. Não pode dar a cara para bater...).
Não vejo manifestações, cobrança, para forçar OS REPRESENTANTES saírem de suas cadeiras cômodas e seus palácios suntuosos em prol da classe. Aliás, o que eu vejo em todos os segmentos, é politicagem para nomear representantes. Quase sempre elegem  MEGA EMPRESÁRIOS do setor para presidir e dirigir as entidades. Ora, este pessoal não pode representar classe alguma, pois não coloca a mão na massa. Quase sempre são levados na conversa pelos tecnocratas do governo. Já insisti que não precisa eleger o pequeno (isto nunca vai acontecer), mas que o pequeno fosse levado a tiracolo para discutir com os tecnocratas (que também só sabem o que fazem em PRANCHETAS). A prova disto é que QUASE TUDO O QUE É FEITO, passa por mudanças, alterações, revogações, etc. Um exemplo típico é a nossa legislação (ACHO QUE A PIOR DO MUNDO). Leis são feitas (por quem não as conhece. Com a palavra a OAB). Vemos revogações, alterações, etc. etc. Uma reportagem chamou a atenção e vou copiar o link para melhor leitura: Fonte – FOLHA DE SÃO PAULO  “Normas tributárias do Brasil viram livro de 41 mil páginas e 7,5 toneladas”.

PELO AMOR DE DEUS, será que todos estão cegos?
Li recentemente um artigo de um amigo, o José Luiz Tejon Megido, achei fantástico. Façam a leitura e repensem: http://exame.abril.com.br/rede-de-blogs/cabeca-de-lider/2015/10/26/trabalhe-com-quem-quer-mudar-o-mundo/

Outra sugestão que não canso de falar, seria que nosso Conselho Federal, a exemplo do que já vi com outras classes, usassem a mídia para falar sobre nossa profissão, percalços, e como o empresário pode detectar o mau profissional (e denunciá-lo). Aquele que se diz contabilista, não faz o trabalho como determina o CFC, por exemplo, balanços de TODAS as empresas, têm seu custo reduzido e aviltam honorários. Isto poderia ser explicado em mídia, não é mesmo? Esta pessoa (não vou dizer profissional), deveria ser extirpado do meio.
Enfim, ainda culpo a TODOS que  escolhem seus representantes (isto vale até para a política, não sabem nem em quem votaram) e NÃO COBRAM ATITUDES em prol da classe ou do cidadão.
Enfim, aqui estou eu novamente usando do meu tempo (outra coisa que a maioria não faz, achando estar perdendo tempo), para MUDAR O MUNDO (como diz o Mestre Tejon). Nunca desisti, nunca deixei de falar e reclamar. Já recebi críticas por isto, mas sempre alego que se eu me calar, será UM A MENOS para PERTURBAR (parafraseando a Madre Teresa de Calcutá  “O que eu faço, é uma gota no meio de um oceano. Mas sem ela, o oceano será menor”).
Peço que reflitam e pensem bem, antes de criticar o profissional da área contábil (ou de qualquer outra área).
Faço minhas as palavras do meu amigo chargista, o ROQUE SPONHOLZ:
“Abomino áulicos e covardes. Sou criativo: Crio brigas, confusões e não fujo delas.”
Quando todos sentirem na pele (o que está começando a acontecer), vai ser tarde.
Que meu sonho continue, que todo cidadão sinta as dificuldades para dar valor ao seu profissional de confiança.

FORÇA E HONRA!
Moacyr Luiz da Silva
Microempresário de Colombo – PR.

30/10/2015.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

INSCREVA-SE NO CANAL



A ÚLTIMA PALAVRA, SEMPRE É A MINHA...